A FOOLISH MISTAKE。

「Yet another average mess」

Anotações dos últimos tempos



Eu sou uma pessoa que fica refletindo bastante sobre várias coisas sempre que possível. Isso é mais um problema do que uma virtude, na realidade. Meus pensamentos simplesmente não param e eu nunca descanso. Por isso, estou tentando criar o hábito de anotá-los e tentar fazer textos com eles posteriormente. Acontece que, muitas vezes, eu anoto o que vem na cabeça no calor da emoção, e depois não consigo finalizar porque, bem, já passou. De qualquer forma, resolvi compartilhar aqui algumas destas anotações dos últimos tempos.

Caso alguém curta, quem sabe eu continuo? Risos.

~*~

Sobre a minha atenção
Uma das coisas que me atrapalham na hora de ir trabalhar é justamente o quanto demora para as coisas acontecerem. Isso me distrai muito. Ao abrir uma aba no navegador relacionada ao meu trabalho, eu simplesmente pego outra coisa para ler enquanto espero. Eu não tô falando de rede social, não. Eu não fico scrollando infinitamente, vendo a vida de outras pessoas. Quem acha que basta limitar as redes sociais para solucionar esse problema está completamente enganado. Eu fico lendo artigos do meu interesse. E quando eu vejo já se passou mais de meia hora, e eu não fiz o meu trabalho, justamente porque estava esperando abrir a aba para iniciar minhas tarefas.

Solução? Fechar abas e manter afastado livros sobre tópicos que me interessam e que estão por perto justamente para eu "ler depois". Salvá-los em uma pasta, em um banco de dados, o que quer que seja, mas não mantê-los ao alcance, caso contrário eu irei me distrair enquanto espero pela execução de um processo necessário para o meu trabalho. De fato, estou escrevendo isso agora pois é um pensamento que me ocorreu no momento em que eu estava lendo um artigo enquanto esperava a página onde se encontrava meu trabalho de psicologia abrir... Fui produtiva? Fui. Mas não do jeito que devia. Fazer o quê, né?

~*~

Sem título
Tem que ser muito infeliz pra achar que a gente tem que viver na merda pra conseguir seguir em frente porque "a dor traz mudança". Sim, dor transforma. Mas amor também. Vontade também. Intuição também. Muita coisa é capaz de transformar muita coisa. Ninguém deve ser obrigado a viver em uma situação na qual não está feliz só para ter transformações internas profundas. Se essas transformações são realmente necessárias, elas vão acontecer em outras situações. Do contrário, é só sacrifício sem sentido. Alguns podem te dar parabéns, mas isso é o máximo que você ganha. Não é possível escapar a todas as dores, mas podemos - e devemos - minimizar aquelas que não fazem sentido manter. Caso contrário, há apenas o desgaste mental e emocional. Meus parabéns a quem prega a dor como o único caminho. Você ajuda a humanidade a se manter miserável.

Marcadores:

4 Comentários

Blogger manie disse...

oi! acabei de descobrir seu blog e adorei as duas reflexões.
também acho que não basta reduzir tempo no instagram/facebook para consumir menos informação. é importantíssimo a gente selecionar até as notícias que vamos ler no dia. não dá pra saber de tudo o tempo todo, e saber disso é um abraço que damos em nós mesmos :) ter sede de conhecimento é maravilhoso, mas a gente ignora totalmente o fato de que precisamos de TEMPO para conhecer algumas coisas. não adianta eu sair da aula com 5 títulos de livros que a prof sugeriu e correr pra biblioteca emprestar. tenho a vida toda pela frente pra ler tudo o que quero hahaha
e sobre a outra reflexão: sim sim sim! a gente aprende a romantizar sofrimento de um jeito tão bizarro. pra quê, né? que bom que ultimamente tem surgido bastante discussão sobre saúde emocional, porque as gerações anteriores não foram instruídas nadinha sobre isso.

um abraço e bom feriado! :D

https://www.meuscafes.com.br/

 
Blogger BA MORETTI disse...

isso de fazer outras coisas enquanto espera a aba carregar tem acontecido muito comigo. e o foda é que as vezes eu me pego perdida tipo "o que diabos eu ia fazer mesmo?". então aqui eu tô tentando desacelerar um pouco. tentando HAHA

 
Blogger Fernanda Rodrigues disse...

Oi, Maria!
Adoro esses textos breves. :) Acho que anotar é algo que ajuda muito a organizar os pensamentos e os sentimentos. Eu sou uma dessas que pensa demais - normalmente em coisas ruins - e a minha psicóloga me diagnosticou com Síndrome do Pensamento Acelerado. A terapia tem me ajudado muito a lidar com isso, além da escrita que sempre foi - e sempre será - a minha tábua de salvação.

Sobre a atenção, eu tbm evito abrir muita coisa quando preciso focar, mas busco separar um tempo na minha agenda/rotina para fazer o que gosto (o que inclui esse lance de ficar lendo coisas aleatórias que aparecem na minha tela). Talvez isso ajude.

Sobre o sem título, concordo com você. Eu vejo muito dessa romantização da dor quando digo que sou escritora. Muita gente vem com um papo de "só consigo escrever quando sofro" e tudo o que consigo pensar é um enorme "nãããããão". Escrever, como todo trabalho, exige técnica e frequência de prática. Não está relacionado ao humor do momento.

Gostei do formato do post. Espero que você compartilhe mais dessas suas anotações!

Um beijo,
Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
Algumas Observações
Projeto Escrita Criativa

 
Blogger Helen Araújo disse...

Adorei esse formato de texto, espero sim que continue!
Tenho um grave problema com as duas coisas: faço muita coisa simultaneamente, esperando páginas carregarem, downloads terminarem... E romantizo a dor. Desconfio da alegria, como se ela me fizesse esquecer a criticidade e a reflexão. Mas pensando agora que estou escrevendo, já fui muito criativa sendo feliz, é que o discurso da tristeza é sedutor demais, que me esqueço fácil de quando estou bem. Vou começar a reparar agora.

Preciso escrever o que tenho em mente também, para guardar e desanuviar.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

« antigos / recentes »
página inicial